Ir para o conteúdo

Ovide Decroly e a Pedagogia de Projetos

Priscila Romero

Ovide Decroly foi um jovem inteligente; no entanto, indisciplinado. Não gostava de participar das aulas de catecismo e possuía uma visão pedagógica diferente da época (Ferrari, 2011). Formado em medicina, passou a estudar crianças com doenças mentais. Dessa forma, se envolveu com a área educacional e propôs uma escola contrária à de seu tempo, uma vez que percebia a necessidade de transformar o aluno no centro das atenções, além de se preocupar com a vida social dele, não se limitando à profissional (Ferrari, 2011).

Decroly percebia que as crianças, por seus interesses, poderiam conduzir o seu aprendizado e que elas enxergam o mundo de forma ampla e não fragmentada. Por isso, propôs os centros de interesse e a utilização de método de alfabetização global – também chamado analítico. “O modo mais adequado de aprender a ler, portanto, teria seu início nas atividades de associação de significados, de discursos completos, e não do conhecimento isolado de sílabas e letras” (Ferrari, 2011).

Centros de interesse são grupos de alunos com faixa etária próxima. Como Decroly queria preparar os alunos para o convívio em sociedade, preferia trabalhar em grupos utilizando materiais reais, do dia a dia. Os assuntos tratados eram escolhidos pelos alunos, ocorrendo o que chamamos de interdisciplinaridade – por isso, Decroly é conhecido por seu trabalho com projetos (Ferrari, 2011).

Corpo, desenho, construção e arte são linguagem, são meios de expressão. E a inteligência é referente também ao trabalho manual, ao esporte, ao desenho; enfim, ao que há de concreto (Ferrari, 2011).

Os projetos propõem pôr a “mão na massa”, de modo que a criança se interesse, faça tentativas e questionamentos, procure o outro e busque novas experimentações. O professor não é o foco das atenções. Ele estimula os alunos e participa de forma a mediar o conhecimento, não a transmitir. As diferentes tecnologias devem ser utilizadas como instrumentos de pesquisa, criação e instrução, na opinião de Maria Elizabeth Prado.

Referências

FERRARI, Márcio. Ovide Decroly. Em 11 jul. 2011. Disponível em: http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/ovide-decroly-307894.shtml.

PRADO, Maria Elizabeth B. B. Pedagogia de Projetos. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/1sf.pdf.

Publicado em