Ir para o conteúdo

Um estudo da utilização de blog para o ensino de Biologia

Aniceta da Conceição Antunes de Brito Alves Melani

Discente do Programa de pós-graduação em Ensino de Ciências (Biologia) – Unigranrio; professora de Biologia da rede estadual do Rio de Janeiro

Roberta Flavia Ribeiro Rolando Vasconcellos

Docente e pesquisadora do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências – Unigranrio

Introdução

Visto que vivemos o tempo da comunicação mediada pelas tecnologias de informação e comunicação, especialmente com o uso da internet, faz-se necessário então buscar novas formas de ensinar (Marandino, 2009).

Durante longos anos, o ensino de Ciências tem seguido forte modelo pedagógico, em que os processos de ensino-aprendizagem apenas reproduzem a apropriação de conhecimentos por meio de uma educação bancária, em que o professor é aquele que fala e o aluno é aquele que ouve. No entanto, as pesquisas em Educação e em ensino de Ciências apontam a necessidade de mudanças na forma de atuar do professor (Delizoicov; Angotti; Pernambuco, 2007).

Nesse contexto, torna-se necessário reconstruir o saber da escola e a formação do educador. O professor precisa ser criativo, aprender com o aluno e com o mundo (Gadotti; Romão, 2006).

Define-se uma inovação como “busca de mudanças que, de forma consciente e direta, tem como objetivo a melhoria do sistema educativo”. Sendo assim, uma inovação não é algo novo, mas algo que se melhora e que permite mostrar resultados de tal melhora (Hernandez, 2000).

A utilização das tecnologias de informação e comunicação (as TICs) é importante para levar o aluno a uma dimensão interdisciplinar que experimenta a vivência de uma realidade global, em que as experiências dos alunos e as do professor são articuladas com os saberes, conhecimentos, vivências e escola e irão se traduzir em um trabalho escolar coletivo e solidário (Gadotti; Romão, 2002).

As vantagens e valores educacionais têm sido amplamente reconhecidos e argumentados. Os projetos envolvem o aluno em atividades de pesquisa e resultam em novos conhecimentos. Os projetos costumam ser multidisciplinares, abrangendo às vezes diferentes culturas da forma e como provavelmente se fará no futuro; finalmente, os alunos estabelecem uma relação com o seu meio, obtendo informação da comunidade em que vivem; muitas vezes, tais projetos devolvem os resultados do estudo como produtos úteis para a comunidade à qual pertencem (Gadotti; Romão, 2002).

Por que professores introduzem inovações ao ensino-aprendizagem? Porque isso vai diversificar, e tornar atrativa a prática docente. O uso das TICs reforça o fato de que a bagagem dos responsáveis pelas experiências que funcionam atualmente provém mais das suas vivências pessoais do que de uma formação planejada e estruturada.

O nível de profissionalismo e a preocupação pretendem cada vez mais tirar proveito do tempo e dos recursos destinados ao ensino. Essas novas tecnologias podem diminuir o distanciamento entre conteúdos programáticos e a experiência dos alunos, que responde pelo desinteresse e deserção em nossas escolas.

Um desses mecanismos de informação e comunicação que podem ser usados são os blogs. Blog é uma abreviação de weblog. Eles se constituem em diários pessoais eletrônicos que se tornaram populares nos últimos anos. Os blogs com fins educacionais são chamados edublogs e são utilizados como ferramenta de suporte ao aprendizado. No blog é possível fazer facilmente registros e atualizá-los, o que o torna muito mais dinâmico. É uma ferramenta flexível que não apresenta limite de utilização. Os blogs se enquadram principalmente na modalidade de aprendizado, abrindo espaço para interação por meio de comentários.

Existe uma série de vantagens na utilização de blogs como recurso midiático no ensino de Ciências: amplo espaço de publicação, facilidade de acesso ao material, interatividade autor-leitor, cognitismo, pesquisa de forma ordenada e a aculturação dos conhecimentos. Ele irá potencializar a interação entre alunos e entre estes e professores. Para melhorar o processo ensino-aprendizagem, vários autores têm defendido o papel da escola no aprendizado da interpretação dos símbolos da cultura como parte da formação do cidadão. O caminho é explorar as múltiplas linguagens oferecidas por esse meio, como as TICs, considerando tanto os aspectos da emoção muitas vezes descartados pela escola e valorizados nesses contextos como aqueles mais racionais (Silva, 2007).
Os blogs com fins educacionais devem ser um pretexto para as múltiplas competências, associadas à pesquisa e à seleção de informação, à produção de textos escritos e ao uso de serviços da web.

Essas novas tecnologias são muito interativas, há grande facilidade para o professor criar ambientes em que os alunos possam aprender fazendo, receber feedbacks rápidos, refinar continuamente sua compreensão e desenvolver novos conhecimentos. Um desses ambientes são os edublogs. Gomes os distingue como “recurso pedagógico” e como “estratégia pedagógica” (Gomes, 2005).

Histórico do Projeto BioArtes

Vivenciando um período didático em que se divulgava o ensino multidisciplinar ou interdisciplinar, professoras do Colégio Estadual Círculo Operário, em Duque de Caxias-RJ, decidiram lançar um projeto que unisse as disciplinas de Biologia e Artes, de maneira que as deixasse interligadas e interessantes, dando oportunidade de alunos criarem apresentações e seminários que mostrassem a aplicação de tais disciplinas em nosso dia a dia. Assim foi criado o projeto BioArtes, sendo um sucesso!

Ao se tornar Projeto BioArtes, as professoras de Biologia e de Artes começaram de forma fervorosa a buscar com que os alunos ganhem autonomia em seus estudos e apresentações, isto é, a cada bimestre os alunos reunidos em grupos apresentavam temas que seriam cobrados em testes e avaliações; percebemos que com isso o índice de crescimento cognitivo só aumentava e, para completar, os alunos já se habituaram a tal prática, não tendo mais receio em apresentar um projeto. Foram inúmeros os temas trabalhados e todos com total sucesso, mas vale ressaltar que tais tarefas ainda não faziam uso da informática. Com o decorrer do tempo, as professoras concluíram que o Projeto BioArtes tem que ser interdisciplinar, isto é, colaborar também com as demais disciplinas; o projeto decidiu criar um blog, pois concluiu-se que a internet e as ferramentas virtuais poderiam contribuir bastante para que o aluno ganhe autonomia cognitiva.

Atualmente, o projeto possui um blog interdisciplinar (www.projetobioartes.com/wordpress), que teve sua primeira versão criada em 2014, não ficando mais preso a duas disciplinas apenas, mas oferecendo materiais de outros conteúdos também. A construção do blog pautou-se no trabalho de Brownstein e Klein (2006), no qual os autores, com o objetivo de ajudar no processo de implementação, citam oito passos, dentre eles adaptar os blogs às necessidades do ensino, tornando-o uma extensão agradável da sala de aula.

Os recursos oferecidos pelo blog BioArtes são: videoaulas criadas pelos alunos, atividades didáticas criativas que estimulam o ensino-aprendizagem, além de indicação de jogos e outras atividades que podem ser realizadas em sala de aula.

Tendo em vista o desinteresse dos adolescentes do Ensino Médio pelos conteúdos não só de Biologia como das demais disciplinas, faz-se necessário o desenvolvimento de atividades lúdicas e prazerosas para que as aulas se tornem mais atraentes, motivando e prendendo a atenção dos alunos.

Estudos sobre o blog BioArtes têm sido realizados com o objetivo de avaliar o impacto da sua utilização para o ensino de Biologia no Ensino Médio. Resultados preliminares apontam que as atividades propostas no blog aumentam a motivação dos alunos para aprender. Assim, espera-se que o blog BioArtes possa ser uma ferramenta auxiliar para professores da Educação Básica, tanto para fornecer diferentes materiais didáticos para uso em sala de aula como para ser um exemplo de criação e utilização de TiCs de maneira interdisciplinar.

Referências

DELIZOICOV, D.; ANGOTTI, J. A.; PERNAMBUCO, M. M. Ensino de Ciências – Fundamentos e Métodos. 2ª ed. São Paulo: Cortez. 2007.

GADOTTI, Moacir e ROMÃO, José E. (orgs.). Autonomia da escola: princípios e propostas. São Paulo: Cortez; Instituto Paulo Freire, 2002. (Guia da escola cidadã; v. 1).

HERNÁNDEZ, Fernando. Aprendendo com as inovações nas escolas. Trad. Ernani Rosa. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

MARANDINO, Martha; SELLES, Sandra Escoveno; FERREIRA, Marcia Serra. Ensino de Biologia: história e práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo: Cortez, 2009. (Coleção docência em Formação. Série Ensino Médio).

SILVA, R. L. F. O meio ambiente por trás da tela: estudo das concepções de educação ambiental dos filmes da TV escola. 258p. Tese (doutorado) Faculdade de Educação de São Paulo, São Paulo, 2007.

GOMES, M. J. Blogs: um recurso e uma estratégia. Anais do VII Simpósio Internacional de Informática Educativa – SIIEO. Leiria, Portugal, p. 16-18, 2005.

BROWNSTEIN, E.; KLEIN R. Blogs: applications in science. Teaching, v. 35, nº 6, p. 18-22, 2006.

Publicado em