Ritmos e expressões musicais: uma experiência

Elessandra Fabiana Monteiro dos Santos Althoff

Professora

Em 11 de julho de 2018, ao apresentar meu projeto Ritmos e Expressões Musicais a meus colegas de trabalho e seus aluninhos, fiquei encantada ao ver a participação e o entusiasmo de todos. Coloquei-me então a pensar como muitas vezes nos tornamos apenas professores conteudistas ou curriculistas (se é que existe essa palavra), e nos esquecemos de que primeiro temos que amar o que fazemos e nos divertir juntamente com nossos alunos; isso ficou muito visível na prática pedagógica.

No Centro Municipal de Educação Infantil Cláudio da Silva Lourenço, organizamos nossos temas de trabalho em projetos semanais ou quinzenais, respeitando sempre o currículo da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná e as leis que organizam e orientam a Educação. Todos os anos reorganizamos os temas, e eles são distribuídos entre os professores para que o projeto culmine numa apresentação para todos com o objetivo de integração de todos os alunos, independente de sua idade/turma.

Nesse primeiro semestre, meu projeto para a integração era Ritmos e Expressões Musicais, para o qual, além de trabalhar em sala com meus alunos, precisei organizar uma aula coletiva para a apresentação; ali pude visualizar o interesse e a curiosidade dos alunos por cada detalhe, a participação quando respondiam algum questionamento. Foi muito lindo!
O projeto pode ser visualizado no Facebook do CMEI: facebook/CMEI Claudio Lourenço; estão postadas as fotos e vídeos do momento da integração.

O projeto

Tema: Ritmos e Expressões Musicais
Período: 8 aulas 
Turma: Maternal II
Público-alvo: 32 alunos de 2 a 3 anos
Objetivos: Apresentar os instrumentos musicais; falar dos sons que o corpo produz; entender que tudo à nossa volta pode produzir sons; estimular os sentidos da visão e audição dos alunos. Treinar habilidades motoras.

Aulas

Conteúdos

Metodologia

1

  • Conhecimento do próprio corpo: sons que o corpo produz;
  • Fontes sonoras;
  • Músicas infantis;
  • Estímulos visuais e auditivos.
  • Em roda de conversa, ensinar os sons produzidos pelo corpo: bater palmas, bater os pés, estalar a língua, entre outros.
  • Cantar e dançar músicas infantis;
  • Brincar com os tamborezinhos feitos com lata de leite ou achocolatado, uma para cada aluno. Para baqueta, usar um lápis.

2

  • Histórias infantis;
  •  Linguagem cênica;
  • Estímulos visuais e auditivos;
  • Jogos com regras;
  • Brincar.
  • Contar a história “Os músicos de Bremen”, de Jacob Grimm e‎ Wilhelm Grimm.
  • Pintar as máscaras dos animais da história; depois de confeccionadas, encenar a história.
  • Dança da cadeira.
  • Brincar livremente com balões enquanto ouvimos músicas.

3

  • Elementos que compõem o som: densidade, intensidade, duração;
  • Registro de ideias: pintura;
  • Cultura Escrita: música;
  • Instrumentos musicais;
  • Brincar.
  • Confeccionar instrumentos de sucata: usar garrafas PET de tamanhos variados (pedidas anteriormente aos pais), latas e potes de iogurte.  Para o chocalho: colocar diferentes materiais dentro das garrafas: pedrinhas, tampas de garrafa, arroz e feijão crus, papel. Para o tamborzinho: usar latas para batucá-las com lápis. Após sua confecção, destacar as características de cada instrumento, mostrando os elementos que compõem o som.
  • Colar a música “Dona Aranha” (CD Galinha Pintadinha), no caderno de desenho e colorir o desenho, depois carimbar a digital do dedo polegar várias vezes na folha com a música e desenhar as pernas e uma teia para representar a aranha. Conversar com as crianças sobre a música que está escrita ali.
  • Cantar a música usando os instrumentos confeccionados.
  • Brincar de banda musical.

4

  • Gêneros musicais;
  • Dança;
  • Registro de ideias: pintura;
  • Organização da ação dramática a partir de música infantil.
  • Apresentar os diferentes gêneros musicais: popular, regional, folclórica, de raízes (samba, indiana, africana, indígena), uma de cada, fazendo danças ao ouvi-las.
  • Pintar um copinho descartável de preto ou marrom para cortar e fazer a “Dona Aranha”.
  • Cantar e brincar com o brinquedo confeccionado.

5

  • Registro de idéias: colagem;
  • Momentos de prática de leitura: painel;
  • Estímulos visuais e auditivos.
  • Procurar em revistas figuras de instrumentos musicais ou imagens que representem a música (e a professora irá recortar), para construir um painel coletivo com os recortes.
  • Apresentar a bandinha do CMEI e seus sons, possibilitando o manuseio pelas crianças.

6

  • Percepção da música na natureza e no cotidiano;
  • Oralidade;
  • Registro de ideias: pintura;
  • Brincar.
  • Passeio no entorno do CMEI para observar e ouvir os sons da natureza e do cotidiano.
  • Conversar sobre o passeio e desenhar figuras para as crianças pintarem a partir de suas observações. Usar guache e pincel para colorir.
  • Brincar na casinha do CMEI.

7

  • Condições climáticas;
  • Sons produzidos pela natureza;
  • Medidas - massa: leve, pesado, mais leve, mais pesado;
  • Comprimento: alto, baixo, mesma altura, mesmo tamanho.
  • Ouvir músicas feitas pelo som da chuva, rios, cachoeiras e pássaros, dentre outros.
  • Confeccionar chocalhos com garrafas PET e colocar arroz, feijão, pedras para realizar diferentes sons e massa, observar os conceitos nas garrafas. Colorir os chocalhos com guache ou colar fitas durex coloridas.

8

Apresentação do projeto:

  • Retomada de conteúdos utilizados durante todo o projeto.
  • Entrar tocando o bumbo (a professora) e marchando com os alunos em fila tocando tamborzinho feito com latas de leite ou achocolatado.
  • Cantar a música “Dona Aranha” usando o fantoche confeccionado em sala.
  • Fazer uma cortina dos instrumentos musicais apresentando os sons e incentivando as crianças a descobrir quais os instrumentos que fazem aquele som (usar a bandinha do CMEI e trazer violão e teclado, dentre outros).
  • Mostrar os vários tipos de chocalhos confeccionados com as garrafas e chamar algumas crianças para confeccionar alguns na hora.
  • Dança da cadeira para as crianças (no período da manhã).
  • Competição de músicas para os professores (no período da tarde).
  • Apresentar a bateria de sucatas como novo brinquedo para o CMEI, que será fixado numa parede do parque para todos poderem brincar.

 

Estes são alguns recursos necessários: lápis de cor, latas de alumínio (uma para cada criança), livro Os músicos de Bremen, cópias, cadeiras, balões, garrafas PET de tamanhos variados, latas e potes de iogurte, copo plástico descartável, tinta guache de cores variadas, pedras, arroz e feijão (punhados), bandinha de instrumentos musicais, músicas de diferentes gêneros: popular, regional, folclórica, de raízes; revistas velhas, papel craft, cola, tesoura, papel sulfite, canetão, fita durex larga colorida, palete de madeira ou plástico, panelas e tampas, latas e potes velhos, “enforca gato”.

As crianças amaram participar desse projeto, tanto individual (em sua turma) quanto na integração; elas cantaram, participaram de todas as atividades propostas e se encantaram com as possibilidades de construir instrumentos musicais, de aprender os sons e poder manusear vários instrumentos. Os professores também participaram com alegria do momento de integração e ganharam de brinde uma caixinha de chocolate para dividir com seus alunos.

Referências

BERTHONE, R. Professora usa sucata para criar instalação sonora e treinar habilidades dos alunos. O Globo. Disponível em: https://oglobo.globo.com/rio/bairros/professora-usa-sucata-para-criar-instalacao-sonora-treinar-habilidades-de-alunos-20377975. Acesso em 13 jun. 2018.

LIMA, ANDRÉA. Musiqueira Artes. Disponível em: http://musiqueiraartes.blogspot.com/2015/02/parede-diferente.html. Acesso em 13 jun. 2018.

ESPAÇO EDUCAR. Disponível em: http://www.espacoeducar.net/2018/07/. Acesso em 13 jun. 2018.

QUAL É O NOME DA MÚSICA? Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=JyBWbyCSNto. Acesso em 13 jun. 2018.

QUAL É O NOME DA MÚSICA? Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=diyE4AByFXo. Acesso em 13 jun. 2018.

QUAL É O NOME DA MÚSICA? Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=1Qd5SptXUno. Acesso em 13 jun. 2018.

Publicado em 25 de setembro de 2018