O treinamento personalizado em Educação Física no Núcleo de Apoio à Saúde da Família no serviço público de São Gonçalo

Marcelo Bittencourt Jardim

Mestrando profissional em Ensino de Educação Básica (UERJ), especialista em Psicomotricidade Educação e Clínica (IBMR), bacharel e licenciado em Educação Física (Unipli), com aperfeiçoamento acadêmico em Educação Pública (Cederj) e Saúde Coletiva: SUS (UFRJ)

O que é NASF?

É um programa do Governo Federal, o Núcleo de Apoio à Saúde da Família; atualmente está com parceria de atuação na saúde dos moradores gonçalenses que são cadastrados no Sistema Único de Saúde (SUS) e são atendidos pela Secretaria Municipal de Saúde junto com a Secretaria de Atenção Básica em Unidades da Saúde da Família nos bairros de São Gonçalo, vinculadas à Prefeitura Municipal de São Gonçalo. O NASF–SG é composto por uma equipe multidisciplinar de profissionais de diferentes áreas de conhecimento; por isso, é importante no município de São Gonçalo, por fazer um atendimento diferenciado à população carente.

Esses profissionais atuam de maneira integrada, apoiando os profissionais das equipes de saúde da família. As equipes são compostas por profissionais formados e registrados: assistentes sociais, educadores físicos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos(as), nutricionistas e psicólogos(as), formando uma equipe voltada para a população que precisa de serviço público de qualidade. Ampliando o atendimento no município, o trabalho tem como objetivo aumentar a abrangência das ações de atenção básica e fornecer integralidade da atenção centrada na família, com orientação dos profissionais e participação comunitária (Prefeitura de São Gonçalo).

O Ministério da Saúde criou o NASF em 2008, pela Portaria n° 154, com o objetivo de apoiar a consolidação da atenção básica no Brasil, ampliando as ofertas de saúde na rede de serviços públicos e a resolutividade, a abrangência e o alvo das ações. Atualmente é regulamentado pela Portaria n° 2.488, de 21 de outubro de 2011, com equipes multiprofissionais que atuam de forma integrada com as equipes de saúde da família (ESF) e com as de atenção básica, atendendo com dignidade os pacientes e a população carente.

Essas ações de saúde também podem ser intersetoriais, com foco prioritário nas ações de prevenção e promoção na saúde. Com respaldo do Ministério da Saúde, pela Portaria 3.124, de 28 de dezembro de 2012, foi criada uma terceira modalidade de conformação de equipe, abrindo a implantação de equipes NASF, desde que tenha ao menos uma equipe de saúde da família (Ministério da Saúde, Brasília).

O foco deste estudo é o atendimento em Educação Física personalizado ao paciente que chega à unidade de saúde da família acometido de dores articulares nos membros superiores e inferiores, na coluna vertebral, com cirurgias no joelho, no ligamento cruzado anterior (LCA) e nos meniscos, com pressão arterial alta, acidente vascular cerebral (AVC), doença de Parkinson, Alzheimer, doenças emocionais, depressão, estrese devido a perturbações sociais, doenças autoimunes, deficiências e malformações congênitas e adquiridas, como amputação dos membros superiores e inferiores, sempre seguidos de fortes medicamentos controlados.

Enfatizamos no presente trabalho a importância da atuação do educador físico, abordada no artigo “A importância do educador físico no núcleo ampliado de saúde da família de São Gonçalo”, publicado na Revista Educação Pública; abordamos a relevância e a continuidade do estudo, mostrando a valia do desenvolvimento da atuação nos atendimentos em Educação Física em postos de saúde da cidade de São Gonçalo, priorizando a qualidade de vida.

Segundo Nahas (2010), “qualidade de vida é a promoção da saúde, é a arte de ajudar as pessoas a mudar seus estilos de vida para atingirem uma saúde plena” e “priorizar a saúde, que é a condição equilibrada de bem-estar físico, emocional, espiritual (de suas crenças) e relacional (social), ausência de doenças, incapacitações e de disfunções”.

Mostraremos fotos de algumas atividades físicas de condicionamento aeróbico que podem ser desenvolvidas por meio de programas de caminhadas, sempre enfatizando o treinamento para respirar corretamente (o inspirar – interior e expirar – exterior), o que é importantíssimo para idosos ou para sujeitos que acostumaram a respirar somente pela boca; treinamento funcional com pessoas com deficiência, para estimulação e desenvolvimentos de sua coordenação motora e seus elementos psicomotores, atuando de forma preventiva e terapêutica com alongamentos para sua flexibilidade, a fim de atingir o principal objetivo do trabalho: o relaxamento das tensões do cotidiano, de problemas familiares, laborais, sociais, culturais em que esses pacientes estão inseridos, geralmente áreas de risco e vulnerabilidade social (Jardim, 2015).

O atendimento a pessoas com deficiência prioriza a estimulação da coordenação motora, o brincar e os elementos psicomotores.

O atendimento a idosos destaca alongamentos, fortalecimento articular e flexibilidade.

O atendimento a paciente em reabilitação de movimento do joelho direito busca o fortalecimento muscular e articular, alongamentos e flexibilidade (desenvolvendo o arco).

O atendimento a idosos consta de alongamentos, fortalecimento articular e muscular no quadríceps.

O atendimento a idosos com doenças de Parkinson, Alzheimer e AVC valoriza alongamentos, fortalecimento articular, estimulação da coordenação motora fina e geral.

Conclusão

O estudo, o conhecimento, o entendimento só fazem sentido na vida quando praticamos. O acolhimento, o ouvir, o orientar, o olhar nos olhos, junto com as atividades de exercícios físicos aqui expostos, ajudam os cadastrados em seu desenvolvimento emocional, psicológico, na interação social, no condicionamento físico; o principal foco do trabalho é a elevação da autoestima, estimulando a promoção da qualidade de vida dos usuários do serviço público.

Os pacientes, assim como os alunos, fazem de sua presença e assiduidade uma lição de perseverança, sempre com o objetivo de melhorar a cada dia. Como educador físico, aprendo com eles que o sujeito cresce na vida no cotidiano do seu trabalho, nas relações com pessoas, nas responsabilidades, em contato com culturas diferentes, âmbitos sociais diferentes, ajudando sujeitos; aprendi com Paulo Freire que “A educação não transforma o mundo; educação muda pessoas; pessoas transformam o mundo”.

Aprendi com um grande sábio e mestre a não fazer acepções de pessoas; acolher e respeitar quem tem poder aquisitivo grande e os que possuem menos poder, tratar como iguais vendo o valor não em bens que possui, mas em quem realmente é; isso com toda a certeza faz a diferença na minha vida, nos meus atendimentos e no meu cotidiano.

Os atendimentos são coordenados e supervisionados pelo NASF-SG em conjunto com o Programa de Saúde na Família de São Gonçalo.

Referências

JARDIM, Marcelo B. A importância do educador físico no Núcleo Ampliado de Saúde da Família de São Gonçalo. Revista Educação Pública, Rio de Janeiro, n. 24, 12 de dezembro de 2017.

JARDIM, Marcelo B. O personal trainer como terapeuta psicomotor. EFDeportes.com, Revista Digital, Buenos Aires, 2015.

NAHAS, Markus Vinicius. Um pouco de história, desenvolvimentos recentes e perspectivas para a pesquisa em atividade física e saúde no Brasil. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 24, n. 1, p. 135-148, jan./mar. 2010.

Sites pesquisados:

http://dab.saude.gov.br (Ministério da Saúde).
http://pmsg.rj.gov.br (Prefeitura Municipal de São Gonçalo).

Publicado em 20 de fevereiro de 2018