O impacto da estrutura familiar sobre o desenvolvimento educacional do adolescente

Juliana Werneck Duarte

Graduada em Gestão de Negócios (UCAM) e em Pedagogia (Unesa), especialista em Gestão de Negócios e Marketing (UCAM) e em Docência para a Educação Profissional (Senac), coordenadora e professora dos cursos técnicos em Administração e do Projeto Jovem Aprendiz do Senac – Unidade Nova Friburgo/RJ

O trabalho apresenta a importância da família no desenvolvimento educacional do adolescente e os fatores que contribuem negativamente no âmbito escolar. Tem o objetivo de contribuir para que professores e pais reflitam sobre a importância da relação entre as duas instituições – escola e família. Assim, cabe aos pais e familiares uma preocupação maior na educação dos filhos e, à escola e aos professores a pesquisa e avaliação do histórico familiar do aluno. Teve como base uma entrevista realizada em outubro de 2017, com 31 adolescentes da rede pública de ensino que apresentavam problemas comportamentais, de socialização e desempenho no âmbito escolar. Durante a entrevista foi constatado que, dos alunos entrevistados, apenas cinco pertenciam a uma estrutura familiar formada por pai e mãe.

O estudo comprovou que, quando o adolescente é valorizado pela família, ele se sente mais motivado a aprender e a se esforçar para ter bom resultado no desempenho escolar, pois dessa forma fará com que seus familiares se sintam realizados. A família e a escola são agentes de socialização; a família é a mais importante, por ser o primeiro ambiente em que o adolescente recebe seus ensinamentos e direcionamentos para ingressar na sociedade.

Foi constatado, por intermédio do resultado da entrevista, que a escola tem a responsabilidade de incentivar e criar oportunidades a fim de que a família se sinta confortável para ter uma participação efetiva na vida escolar do aluno. Para isso, é preciso que a escola tenha acesso aos pais e saiba com quem irá construir essa relação, pois precisa contar com a participação ativa dos familiares no desenvolvimento educacional do adolescente. Além disso, os professores precisam ter o cuidado de pesquisar e entender o histórico familiar e social do aluno, pois muitos adolescentes têm algum tipo de problema no ambiente familiar, o que acaba impactando negativamente seu desenvolvimento na escola. Os professores precisam planejar aulas mais dinâmicas e atrativas, levando em consideração a realidade social do aluno, para que assim possam despertar o seu interesse e incentivar sua participação nas aulas.

Referências

BIASOLI-ALVES, Z. M. Crianças e adolescentes: a questão da tolerância na socialização das gerações mais novas. 2001.

FARIA FILHO, Luciano Mendes. Para entender a relação escola-família: uma contribuição da história da educação. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 14, p. 44-50, fev. 2000.

KALINA, E. Psicoterapia de adolescentes: teoria, técnica e casos clínicos. 3ª ed. Trad. C. R. A. Silva. Porto Alegre: Artes Médicas, 1999.

NOGUEIRA, M. A. Relação família-escola: novo objeto na Sociologia da Educação. Paideia: Cadernos de Psicologia e Educação, Ribeirão Preto, 1998.

Publicado em 19 de fevereiro de 2019

Como citar este artigo (ABNT)

DUARTE, Juliana Werneck. O impacto da estrutura familiar sobre o desenvolvimento educacional do adolescente. Educação Pública, v. 19, nº 4, 19 fev. 2019.