Biblioteca

Filtrar os artigos

Pesquisar na Biblioteca

Selecione uma ou mais opções

Nível de ensino

Selecione uma ou mais opções

Natureza do trabalho

Selecione apenas uma opção

Categoria de Ensino

Selecione uma ou mais opções

Ciências Ambientais

Ciências da Saúde

Ciências Exatas e da Terra

Ciências Humanas

Educação

Letras, Artes e Cultura

Políticas Públicas


Filtros aplicados:

Categoria de Ensino: Espaços Urbanos; Política Cultural; Política Educacional
Limpar filtros
Análise da percepção e necessidade para evolução dos conhecimentos entre os profissionais em unidades de alimentação e nutrição da cidade de Aracaju/SE
Nutrição e Alimentos, Comunicação, Avaliação e Política Cultural

A finalidade de uma unidade de alimentação e nutrição (UAN) é fornecer refeições equilibradas, com bom nível de sanidade, adequadas ao comensal. Essa adequação deve procurar manter a saúde da pessoa e desenvolver hábitos alimentares saudáveis. A fim de conhecer a prática alimentar nas UAN, em Aracaju, foram coletados dados por meio de questionário para compreender os aspectos filosóficos, técnicas de legislação e regras da unidade de alimentação e nutrição, importância de diferentes comunicações.

Maconha: que planta é essa? Uma breve história do consumo e da disseminação no Brasil
Saúde, Agronomia, Biologia e Biociências, Química, Antropologia, Comunicação, Direito, Economia, Filosofia, Geografia, História, Sociologia, Formação de Professores, Cidadania e Comportamento, Folclore e Datas Importantes, Outras Mais Específicas, Espaços Urbanos e Política Cultural

É importante conversar com os alunos sobre o uso, as características e as consequências do consumo da maconha, evitando vieses religiosos ou policialescos, sem abordar o assunto de maneira simplista. Um pequeno retrospecto de sua presença em diversas culturas desde a Antiguidade mostram que substâncias como a Cannabis podem ser usadas com finalidades médicas e ritualísticas, por exemplo.

O fracasso escolar e a importância da Orientação Educacional – um diálogo necessário
Formação de Professores, Instituição Escola, Política Cultural e Política Educacional

Este artigo visa abordar o fenômeno do fracasso escolar e a responsabilidade do orientador educacional frente a ele, a fim de destacar a importância do papel desse profissional no combate ao fracasso escolar. É uma pesquisa bibliográfica exploratória qualitativa, baseada na literatura atual sobre o tema.

“Peça pena severa para quem me dá artilharia”: medidas socioeducativas e a educação
Instituição Escola e Política Educacional

Este artigo mostra o que são as medidas socioeducativas e como a sociedade vê esse jovem socioeducando, entender o conceito de ato infracional do ponto de vista do ECA, além das medidas socioeducativas e a educação. As medidas não estão cumprindo seu papel ressocializador. Nossa sociedade cai no erro sempre ao pensar em formas mais eficazes e duras de punição.

A pedagogia engajada e a práxis da transformação do mundo – um ensaio sobre a educação libertadora
Formação de Professores e Política Educacional

É preciso que os educadores se engajem no processo de uma educação libertadora, pois não há prioridade entre lutas econômicas, sociais, políticas, culturais e/ou educacionais. O que há é uma estrutura de poder hegemônico que precisa ser combatido. Removido. Superado. É preciso ter disposição para a mudança.

Igualdade de gênero no ambiente escolar
Direito, Educação Infantil, Formação de Professores, Instituição Escola, Cidadania e Comportamento, Outras Mais Específicas, Política Cultural e Política Educacional

É pela educação que o mundo pode ser transformado. As escolas devem ser refúgio para as crianças, especialmente para aquelas que vivem em cidades e bairros marginalizados, afetados pelas desigualdades sociais. É vital que a comunidade acadêmica realize pesquisas para compreender a escala e o alcance da desigualdade de gênero relacionada ao ambiente escolar e para desenvolver políticas a fim de eliminá-las. Construir a igualdade de gênero na escola é evitar que ocorram processos de discriminação. Nesse contexto buscamos analisar as posturas de meninos e meninas no ambiente escolar e as ações dos educadores e programas que estão sendo desenvolvidos para a discussão de gênero.

Debates decorrentes das “duas culturas”: caminhos para uma educação igualitária por Charles Snow e Zygmunt Bauman
Filosofia, História, História da Educação e Política Educacional

Bauman e Snow, grandes nomes do cenário sociológico internacional, são de grande importância para este trabalho; eles contribuem para que consigamos entender como nos posicionar com relação a esse distanciamento entre as ciências humanas e as exatas. Servirão de aporte teórico, comparando ideias e estudos relacionados a sociedade, cultura e educação.

Dificuldades de aprendizagem? A escola do século XIX se arrasta até o século XXI
Antropologia, Filosofia, Sociologia, Avaliação, Educação Especial e Inclusiva, Educação Infantil, Formação de Professores, História da Educação, Instituição Escola, Vivências de Sala de Aula, Espaços Urbanos, Política Cultural e Política Educacional

As dificuldades de aprendizagem ganham mais espaço com o passar dos dias e o avanço do conhecimento científico, chamando mais a atenção de pais, professores e profissionais envolvidos na área, devido ao grande número de “diagnósticos” que têm sido fechados. Diante dessa problemática, precisamos avaliar se os casos são fruto de dificuldades de aprendizagem ou de ensinagem. O modelo de escola, as metodologias de ensino e os modelos de sala de aula são praticamente os mesmos desde o século XIX e vêm se arrastando até os dias atuais.

“Seu filho anda falando muito na aula”
Comunicação, Filosofia, Sociologia, Avaliação, Educação Infantil, Formação de Professores, Instituição Escola, Vivências de Sala de Aula, Outras Mais Específicas e Política Educacional

Este artigo tem como objetivo propor uma discussão teórica a respeito de determinadas tradições discursivas (TDs) que salientam disparidades socioculturais em ambiente escolar, mais especificamente na relação professor-aluno. Para tanto, parte de uma teorização acerca da maneira como determinadas expressões veiculam ideias preconcebidas em senso comum pouco interessante à construção do conhecimento colaborativo, na medida em que são legitimadas pela linguagem – aqui tratada como um fenômeno sociocultural que muito tem a dizer sobre as estruturas sociais não só da Escola, mas também de outros setores sociais.

Políticas públicas para a Educação de Jovens e Adultos (EJA)
Educação a Distância e Política Educacional

Este estudo apresenta uma análise das políticas públicas desenvolvidas para a Educação de Jovens e Adultos, marcadas pelas campanhas de alfabetização e por características de provisoriedade. Apresenta as funções e finalidades específicas da EJA presentes nas Diretrizes Curriculares Nacionais, traz a discussão sobre a escola como local de excelência para a realização dos processos de ensino e aprendizagem em uma relação dialógica, dialética, democrática, inclusiva e problematizadora numa sociedade multicultural e reflete sobre uma recente resolução que apresenta a Educação a Distância como possibilidade de realização na EJA, desconsiderando que o reingresso de muitos adultos à escola é permeado por dificuldades de um hiato temporal.